righteous

Novato
  • Content count

    0
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About righteous

  • Rank
    Iniciante

Contact Methods

  • ICQ
    0
  1. Antes de falarem asneiras e irem direto falando o que vem na cabeca, sempre o melhor e ouvir e ler as noticias e esperar a confirmacao dos fatos, as pessoas envolvidas neste absurdo de acusar um pais e pessoas neste caso dos conteiners que disseram ter lixo toxico, elas nunca imaginava que a Inglaterra repatriaria 89 conteiners e sim chegaria um tal com uma mala preta, pra ver como poderiam resolver poar ai mesmo, mas não e bem assim, a Inglaterra repatriou e inspecionou os conteiners , comecaram em setembro de 2009 e terminaram em fevereiro de 2010, a BBC esteve la quando terminou e divulgou em 15/02/2010, la em baixo diz que o Brasil acusou e a inspecao terminou e a Agencia de meio Ambiente da Inglaterra disse que não tem nada disso e que o governo esta analizando novos rumos para o caso. BBC News Updated every minute of every day BBC NEWS CHANNEL Page last updated at 21:21 GMT, Monday, 15 February 2010 E-mail this to a friend Printable version Brazil container row man ordered to pay £730,000 Brazil said the waste breached international conventions The owner of a Swindon-based company which sent "toxic" waste to Brazil has been ordered to pay a shipping firm more than £730,000 in compensation. Containers sent by Worldwide Biorecyclables were rejected by the South American country's government. Shipping firm MSC was fined for transporting the rubbish but has won a High Court order to get the money from Worldwide Biorecyclables' former owner. Julio da Costa, 49, has said he intends to appeal against the ruling. Mr da Costa, a Swindon-based Brazilian expatriate, told the BBC that he was not given sufficient warning of MSC's case against him and had no time to prepare a defence. He said that Worldwide Biorecyclables, which was based in South Marston and employed eight people, no longer existed as a business. "Today, I deliver pizzas and earn £900 a month," he told a Portuguese-language news agency. Cargo inspected The containers row sparked an international incident in July 2009 after Brazil accused the UK of dumping unwanted contaminated waste on its shores. The Brazilian government said that the 91 containers shipped by MSC did not contain recyclable plastics but instead held used nappies, syringes, condoms and other contaminated waste. Ipswich-based MSC was forced to return the containers to the UK. The shipping firm did not want to comment on the proceedings. The cargo was described as "toxic" by the Brazilian authorities but the Environment Agency, which has inspected the returned containers, said it was not. The agency said it was still considering its next course of action. Bookmark with: BBC Wiltshire Sport, travel, weather, things to do, features and much more
  2. Senhores/as, lobo.de.mibu, em resposta a o que aconteceu sobre os conteiners encontrados com lixo toxico proveniente da Inglaterra, foi armado por uma empresa de SP que tinha feito investimento de milhoes de dolares em maquinarios para processar toda a sucata de plasticos que a SIP estava importando da Inglaterra, como a SIP saiu do negocio esta empresa de SP ficou sem contato com a empresa inglesa e todo o investimento seria perdido, mas como um donos e plicial federal aposentado, conseguiram rastrear os conteiners que o novo importador do RS estava trazendo para Santos e Rio Grande, isso em dezembro de 2008, esta empresa de SP comprou 4 conteiners em janeiro de 2009, e pagou 16 conteiners adiantados para empresa do RS ( o Importador) mas como a empresa naval tinha enviado muitos documentos errados o importador estava com problemas para liberacao de conteiners, a empresa de SP passou a cobrar a empresa do RS e a empresa do RS entregou 6 conteiners para empresa de SP, estes feito transbordo destro do porto em Rio grande RS, para carretas abertas, e estavam a disposicao da empresa de SP , 16 conteiners no porto de Santos, assim o empresario do RS pagou a emp de SP, mas eles queria tudo, isso 8 de maio de 2009, estava pago o din adiantado, mas os emp de SP queriam tudo e o importador negou, assim a emp de SP fez uma denuncia de ter comprado aparas de plasticos e recebido lixo,o Ibama foi ate o barracao com os reporteres da CIESP pra checar a denuncia e encontraram o conteudo das 6 carretas abertas que vieram do porto do RS e descarregaram todas sem problema, mas na reportagem da CIESP consta que foi encontrado lixo brasileiro mixturado no meio, com isso os agentes foram ate o sul e o importador apresentou as provas que o que o empresario de SP recebeu saiu de dentro dos conteiners dentro do porto e que importa este material da inglaterra desde 2007 e foi importado mais de 150 conteiners neste tempo todo,com tudo isso o Ibama agiu unilateralmente chamando a imprenca com direito a foto do ministro Carlos Minc, pois o Minc estava com a corda no pescoco por ter participado da passeata da maconha no Rio, e estava sendo julgado no conselho de crime organizado do congresso nacional, tudo jogo de interesses. todo material foi importado como 39 15 10 00 codigo fizcal para aparas e desperdicios de plasticos, tudo dentro da lei, pois mais de 60 conteiners ja tinham sido liberado pela receita federal sem problemas anteriormente. estou preso no pais sem poder sair ate que comece um prossesso crime na suprema court de Londres, com orientacao de meus advogados não entreguei nada para os agentes daqui, so vou entregar na court, tenho todos os documentos que comprovam o que aconteceu , pois aqui o lixo e coisa seria e não a barbaridade de lixos hospitalares sendo carregados por cachorros nas ruas como no Brasil, aguardem que toda verdade vai aparecer pela imprenca daqui da Europa. tentei denunciar a promotoria de santos por fazer uma denuncia com o que foi divulgado em jornais e tv, e isso ai que consta na denuncia do ministerio publico, nada foi analizado tudo por suposicao. fiquem ligados pois vou postar documentos a cada passo do prossesso na suprema court de Londres.ai isso tudo a cima ficara bem claro a todos.